19/02/2013

"Lembre que me ouviu dizer, o quanto me importei e o que eu senti"


Eu queria mesmo é te agradecer, meu amor. Eu sei que você não lerá, mas o fato de escrever, me deixa livre do peso de não ter te falado tudo isso um dia.
Queria te agradecer por tudo. Por ter me tornado uma pessoa um pouco melhor e que aprendeu a sentir. Antes de você chegar, era cômodo usar das pessoas para satisfazer meu ego, meus desejos e até mesmo a minha excitação, mas depois de você... Depois de você eu soube de verdade o que era sentir e gostar de alguém, eu aprendi que não posso e não sei ser sozinha do jeito que eu era antes.
Você me deu dias de felicidade IMENSA e o meu obrigado não seria capaz de demonstrar minha gratidão por ter despertado em mim o poder de ver aos outros e ver também, mesmo que de forma meio torta, aqui dentro.
Eu não me arrependo de nada, nada mesmo. Mentira... Me arrependo sim. Me arrependo por não ter gritado ao mundo inteiro de como você me fazia feliz, me arrependo por ter brigado tantas vezes por nada e por ter te feito chorar, me arrependo por não ter te acordado com aquele beijo demorado, por não ter te abraçado por mais tempo até você dormir e por todas as vezes que você me pediu uma massagem e eu não fiz. Me desculpa, se eu soubesse que seriam poucos os nossos dias, eu teria feito várias massagens e procurado mais piolhos na sua cabeça.
Eu não sei lidar com perdas e é por isso que meu corpo reflete sempre que eu sentia perder você, me desculpe por ter passado mal tantas vezes e por ter te dado tanto trabalho. Eu prometo tentar aprender a ter um amor mais leve, e quem sabe até mais livre, como o nosso era no início, pra dessa forma então, acostumar meu corpo e minha mente que as pessoas precisam ir e é errado prende-las ou julga-las por possuir essa necessidade. Eu lembrarei de você a cada passarinho que venha para alegrar e meu dia e depois vá embora, alegrar o dia de outra pessoa e  também a cada filme que eu vá assistir no cinema, imaginando SEMPRE você cantando a música do Cinemark e comentando traillers. Caramba, que saudade de tudo isso.
Dessa vez a musicalidade parará no título, não terá melodia nenhuma pra marcar que o texto acabou, deixo o silêncio que mora aqui em mim visitar você pra te acalmar e te colocar nos mais lindos sonhos. Os sonhos que eu não estou, os sonhos nos quais eu não existo e você fica bem, tranquilo e feliz. Nunca foi tão difícil quanto agora, as letras no teclado parecem menores a cada lágrima que cai. Tenho certeza que nada marcará com tanta intensidade novamente meu coração. Obrigada, com muita saudade, com muito aperto no peito e com muito carinho, um brinde ao que aconteceu entre nós. Te amarei para sempre, panda.